GS Inima Brasil inicia operação de poço profundo em Birigui

A GS Inima Brasil, um dos maiores grupos de saneamento do país, assume a operação de um poço profundo de captação subterrânea em Birigui. O poço atende a aproximadamente 30 mil habitantes, ou seja, 30% da população do município, conhecido nacionalmente como “Capital Brasileira do Calçado Infantil”.

 

A princípio, o serviço será executado em um período de 12 meses, podendo ser renovado por até cinco anos. O poço possui uma vazão média de operação de 500 metros cúbicos (500 mil litros) por hora, com um tempo médio de operação de aproximadamente 20 horas diárias. Isso resulta em uma produção média diária de 10.000 metros cúbicos de água, ou 10 milhões de litros/dia, e 300 mil metros cúbicos, por mês.

 

A água é captada do sistema Aquífero Guarani, um depósito subterrâneo gigante de água com uma extensão de mais de um milhão de quilômetros quadrados abrangendo Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai. Bombeada a 1.300 metros de profundidade, com uma temperatura de 50 graus célsius, a água passa por seis torres de resfriamento até atingir a temperatura ambiente para ser distribuída à população.

 

A empresa será responsável por todo o serviço de manutenção preventiva e corretiva eletromecânica, além de realizar análises laboratoriais para garantir a qualidade da água. A operação inclui a contratação de colaboradores e aquisição de produtos químicos e peças para manutenção de equipamentos.

 

A GS Inima Brasil atua no saneamento brasileiro desde 1995, e faz parte do Grupo GS Inima Environment, que tem atuação internacional e é integrante do Grupo GS, o quinto maior conglomerado empresarial da Coréia do Sul.   Além de concessionárias de serviços públicos de água e esgoto, a holding também conta com unidades de tratamento de águas industriais em São Paulo, Minas e Rio Grande do Sul.

 

A GS Inima SAMAR, concessionária de água e esgoto de Araçatuba, é uma das empresas que integram a GS Inima Brasil. Outras concessões estão localizadas em municípios paulistas como Ribeirão Preto, Santa Rita do Passa Quatro, Mogi Mirim, e Paraibuna e em Ouro Preto (MG) e Maceió (AL).