ETA 4 está em construção para melhorar o tratamento de água na cidade

A GS Inima SAMAR está construindo mais uma ETA (Estação de tratamento de Água) em sua sede em Araçatuba. Ela vem com novas tecnologias que prometem melhorar e revolucionar a maneira do abastecimento hídrico da cidade.

 

Essas estações de tratamento drenam a água que vem naturalmente, purificando e deixando ela potável e sem poluição ou doenças. Duas delas drenam o ribeirão Baguaçu, as responsáveis por este afluente são as ETAs 1 e 2, que foram inauguradas no século passado, e são antiquadas, com processos ainda manuais e pouco eficazes com tecnologia primaria. Já a terceira ETA foi aberta em 2013 para bombear as aguas do rio Tietê, nesse caso o investimento foi grande nas obras e tem uma tecnologia recente e eficiente em certos pontos.

 

Portanto, esta será a quarta ETA instalada em Araçatuba e terá um investimento estimado de 35 milhões de reais, 10 milhões a mais que a construída em 2013, sendo o maior investimento nesse quesito, prometendo ter as mais novas inovações tecnológicas da área. Segundo o Comissário geral da AGRF (Agencia Reguladora e Fiscalizadora), Marcio Saito, essa nova Estação de tratamento vem para substituir as outras duas antigas, com um sistema totalmente automatizado e com desperdício zero de água garantido por no mínimo 30 anos.

 

Ainda sem uma previsão definida e em um estado intermediário de construção, as ETAs 1 e 2 vão continuar a suprir a população por enquanto, mas já foi dito que não serão destruídas quando a nova ETA for inaugurada, servindo como uma alternativas reservas em eventuais problemas que possam ocorrer no futuro.

 

Nas fotos abaixo tiradas nesta quinta-feira (05) o Representante da AGRF, Petrôneo Pereira Lima, que ocupa o cargo de comissário adjunto, junto com representantes da INFRA Engenharia e Consultoria, Mariana de Barros e Aluizio de Barros, Gerente de engenharia e Diretor Geral respectivamente, acompanhados pelo Diretor técnico da GS Inima Samar, Rondinaldo Paiva, o técnico em seguranças no trabalho Fabiano Lins e o engenheiro civil Paulo Afonso, verificam o andamento das obras para melhor condução das mesmas.